Arts & Culture

Carregando
4000 a.C. - 1400

Uma viagem pela língua portuguesa

Museu da Língua Portuguesa

Museu da Língua Portuguesa

Olá! Bem vindo!

Convidamos você a uma viagem: uma das muitas viagens possíveis pela construção da língua portuguesa.  Nosso passeio começa por volta de 4000 a.C. e vai até o século XVI.

Aqui, você encontrará imagens, vídeos e textos que contam a dinâmica e as transformações que permitiram ao português ter palavras pronunciadas em muitas partes do mundo.

As mudanças não aconteceram de uma hora para outra, nem em lugares restritos. Para pensar sobre isso é preciso levar em conta as pessoas, a época e a diversidade existente nas culturas.

Esperamos que aproveite nossa excursão, boa viagem!

A (i)materialidade do Indo-Europeu

Por volta de 4.000 a.C., acreditava-se que um conjunto de civilizações, com falares semelhantes, teriam migrado para regiões diversas da Europa, influenciando a realidade e a comunicação nesses lugares. Esse agrupamento linguístico é chamado de Indo-Europeu.

Isto não significa estabelecer uma origem comum a todas as línguas, mas perceber algumas comparações que permitiram essa classificação. Mais que justificar essa (i) materialidade, o Indo-Europeu demonstra um passado comum aos habitantes do Norte e Nordeste da Europa, muito além das barreiras que existem atualmente.

Map: Indo-European expansionism
Presença de palavras semelhantes em realidades geograficamente diferentes pode sugerir um ancestral linguístico comum. Mesmo em palavras de origem não latina.

Migração e Construção do Latim Arcaico

As culturas com falares semelhantes, com o passar do tempo, ocuparam quase todo o continente europeu. Um desses grupos se concentrou na Península Itálica. A permanência em um único território exigiu e permitiu um menor número de variações, com destaque nos costumes em comum. Essa cultura mais próxima deu forma ao Latim Arcaico.

Conforme a lenda, uma loba alimenta os irmãos gêmeos Rômulo e Remo que, quando adultos, seriam os responsáveis pela fundação de Roma.
Map: Italian peninsula occupation
Map: Roman dominance at 270 b.C

 

O Império Romano e as variações do Latim

A língua foi uma importante ferramenta para a expansão do império. Roma escolhe o Latim como língua oficial - criando raízes por quase todo o mundo conhecido.

O extenso território, aliado ao contato com as diferentes culturas nas fronteiras possibilitou duas formas conhecidas do latim: o culto e o vulgar.

 

Utilizado por um pequeno grupo, o latim culto, representava a minoria do Império. Seus falantes eram membros da elite e do poder da região de Roma. Já o latim vulgar era utilizado pela maioria da população. Será o contato do latim vulgar com as línguas locais que favorecerá a origem de outras e novas línguas.

Você sabia que a existência de duas línguas: uma culta e outra popular se repetem na maioria das culturas?

Roma e a fragmentação do Império

Roma foi o centro do mundo Ocidental durante alguns séculos. Sua influência pode ser observada nas artes que serviram de inspiração para as futuras gerações, nas construções espalhadas pela Europa e também na língua. Basta reparar a quantidade de idiomas que possui o latim em uma de suas raízes (português, francês, italiano, entre outras). 

As variações do latim, entre outros fatores, podem exemplificar as desigualdades e contradições existentes no vasto Império.

Um território nessas proporções, com culturas diversas, centralizado somente em Roma enfrentou sua fragmentação no início do século V d.C.

Península Ibérica e a presença árabe

Além da dimensão do território, as culturas locais sempre foram um grande obstáculo para uma conquista efetiva do Império. A península Ibérica é um grande exemplo disso.

Com o fim do domínio romano e sua fragmentação na parte ocidental, ocorreu uma longa disputa pelo poder, até que, no século VIII, a cultura árabe se estabeleceu ali.

A longa permanência árabe influenciou a Península em todos os setores. Construções foram modificadas, outros alimentos seriam introduzidos e consumidos, novas palavras foram incorporadas e reproduzidas, além de um forte desenvolvimento científico.

Você sabia que “As mil e uma noites” é o título de uma das mais famosas obras da literatura árabe e teve uma tradução direta para o português em 2005?

Disputas e formação do Galego- Português

Os reinados cristãos do Norte da Península Ibérica combateram e expulsaram os árabes. A centralização do poder, somado a um pensamento religioso, motivou os nobres do Condado Portucalense a conquistarem o restante do território. 

Nessa conquista, a língua vitoriosa foi o Galego-Português. Essa língua - com todos os vestígios das anteriores - foi a base da construção do Português.

 “Ondas do Mar de Vigo,

            Se vistes meu amigo!

                  E ai Deus, se verrá cedo!”

Trecho de Cantiga de Amigo do século XIII.

          “Ondas do mar de Vigo,

           Se vires meu namorado! 

      Por Deus, (digam) se virá cedo!” 

Tradução para o português contemporâneo.
Cantiga de Amigo. Página do Livro Cancioneiro da Ajuda, publicado no século XII
Você sabia que o livro “Dom Quixote de La Mancha” se relaciona com um tema comum as cantigas líricas de amigo do Galego-Português?  

 

Unificação e o Português Arcaico

A unificação permitiu um controle mais efetivo, inclusive com a publicação de vários documentos normativos. O processo seguido de tal modelo criou as condições necessárias para o desenvolvimento do Português-Arcaico.

Português no Mundo

A junção de alguns fatores internos, tais como: a crise de alimentos, alta densidade demográfica e a posição privilegiada próxima ao mar, propiciaram a Portugal, já unificado politicamente, buscar um novo caminho para outras relações comerciais. As aproximações iriam favorecer o contato com diferentes culturas e diversas línguas, o que, certamente, não é nada estranho em sua história. 

A carta de Pero Vaz de Caminha atesta os novos contatos que a língua portuguesa fez nos séculos XV e XVI.

Chegamos aqui em nossa última parada dessa curta viagem. 

Em 1500, Portugal chega a um território inédito para a Europa.

Hoje este local é o país onde há mais falantes do Português no mundo.

Contudo, pelo passar da história, essa língua já é bem diferente daquela do século XVI. Mas isso pode ser outra viagem...

Esperamos que tenha aproveitado essa viagem pela história da construção do Português!

Créditos: exposição

Curadoria /Curators — Renato Silva dos Anjos e Marcos Paulo Amorim - Núcleo Educativo
Núcleo de Documentação Pesquisas e Exposições / Document, Search and expositions — Júlia Serra Y. Picchioni, Rafael Lumazini e Simone Vieira de Moraes. 

Créditos: todas as mídias
A exposição apresentada pode, em alguns casos, ter sido criada por um terceiro independente e nem sempre representa os pontos de vista das instituições, listadas abaixo, que forneceram o conteúdo.
Traduzir com o Google